Background

Blog

Identificação electónica em furões e aves


 
O que é e como funciona o microchip?
O Microchip é um dispositivo electrónico, do tamanho de um bago de arroz, descodificado com um aparelho apropriado que permite ler o código e a referência (15 números) correspondente aos dados do seu animal e seu tutor legal numa base de dados.
Que animais necessitam de microchip?
Desde 2014, todos os furões devem ser legalizados no ICNB (Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade). Para isso, um dos requisitos fundamentais é a colocação de microchip. Furões nascidos antes de 27 de Junho de 2019 dispõem de 36 meses para serem identificados. Caso tenham nascido depois desta data, devem ser identificados até aos 120 dias de vida. 
Também algumas espécies de aves de companhia, como os papagaios-cinzentos, papagaios-verdes, araras e catatuas, que não se encontrem anilhadas com uma anilha fechada e oficial necessitam de estar microchipadas para que o tutor possa proceder ao seu registo e legalização no ICNB.
Para que serve?
O microchip constitui um método de identificação definitivo. Para além de ser um requisito para a legalização de furões e várias espécies de aves, o microchip pode também ajudar na identificação do seu animal em caso de fuga ou roubo.
Onde é inserido?
Nos furões, o microchip é inserido na zona do pescoço no lado esquerdo.
Nas aves, a inserção é feita nos músculos peitorais.
A inserção do microchip não é um procedimento doloroso e uma vez colocado não causará desconforto ao animal. Contudo, em animais muito stressados ou de manipulação mais difícil pode ser recomendada a colocação do microchip sob sedação ligeira.